Cultura e história, Griô da Capoeira é sucesso na Escola Municipal Cristo Rei

Os alunos do núcleo Cristo Rei do Projeto Ginga De Peito Aberto II participaram, nesse sábado, do Griô da Capoeira. O evento contou com a presença do Mestre China, que contou como a capoeira mudou a vida dele. Depois, foi a vez do Grupo São Bento fazer uma apresentação cultural.  Por fim, num momento repleto de emoção, beneficiados pela iniciativa e demais presentes fizeram uma grande roda com muita ginga e muita dança.

 

Todos os presentes puderam aprender sobre a importância histórica e cultural da capoeira. O coordenador técnico do projeto, Anderson Lopes, falou sobre a importância do evento. “Salvador é um dos grandes polos da capoeira no Brasil. Eventos como o Griô são extremamente necessários para cultivarmos ainda mais essa arte na nossa cidade. A capoeira é contagiante, é alegre, é envolvente. Temos que valorizar nossa cultura”, disse.

 

Pensando na inclusão, o Griô da Capoeira contou com intérprete de LIBRAS durante todo o evento. Um dos diferenciais do Projeto Ginga De Peito Aberto II é justamente a acessibilidade. O projeto ensina capoeira para alunos com autismo, síndrome de down ou paralisia cerebral.

 

Executado pela Organização Social De Peito Aberto Incentivo ao Esporte, Cultura e Lazer, o Projeto Ginga II é viabilizado por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Cielo e apoio da Prefeitura de Salvador através da Secretaria de Educação.

 

O projeto beneficia 450 crianças e jovens em Salvador. Sendo 225 no núcleo Cristo Rei e 225 no núcleo Vale das Pedrinhas. As atividades acontecem, respectivamente, nas escolas municipais Cristo Rei e Vale das Pedrinhas.

 

No próximo sábado, 3 de agosto, dia da capoeira, será a vez da Escola Vale das Pedrinhas receber o Griô. O evento está programado para acontecer entre 9h30 e 11h30.

 

Vagas abertas

O Projeto Ginga De Peito Aberto II ainda tem vagas abertas para novos alunos. Podem participar da iniciativa crianças e jovens entre 7 e 17 anos de idade. Além das aulas de capoeira, as atividades também abordam as questões históricas da capoeira, com o objetivo de gerar acesso à educação através da cultura popular.