Núcleo Vale das Pedrinhas inicia batizados do projeto Ginga De Peito Aberto

O sábado começou muito movimentado na Escola Municipal Vale das Pedrinhas, em Salvador. Os 225 alunos beneficiados pelo Projeto Ginga De Peito Aberto II participaram do batizado de capoeira. O evento foi idealizado para reconhecer simbolicamente os aprendizados dos alunos ao longo do projeto. Os jovens receberam um cordão de capoeira em forma de homenagem.

 

A cerimônia foi repleta de alegria e contou com cânticos e rodas próprios da cultura capoeirista. O coordenador pedagógico do projeto, Anderson Lopes, ficou bastante satisfeito com o resultado. Segundo o profissional, o momento está marcado na memória de cada participante.

 

“É gratificante. Foi um ano de muito trabalho para levarmos o melhor da capoeira, e de toda a cultura que a cerca, para os alunos do Ginga. Acredito que cada sorriso visto aqui hoje será uma lembrança guardada para sempre. É importante ressaltar também o comprometimento de todos os jovens ao longo do ano. Se hoje temos o batizado, é por que os alunos se dedicaram ao máximo e aprenderam muito sobre nossa cultura capoeirista”, comentou.

 

Executado pela Organização Social De Peito Aberto Incentivo ao Esporte, Cultura e Lazer, o Projeto Ginga II é viabilizado por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Cielo e apoio da Prefeitura de Salvador através da Secretaria de Educação.

 

Cristo Rei – No próximo sábado, dia 14, será a vez dos alunos da Escola Municipal Cristo Rei serem contemplados com o batizado. O evento está marcado para às 9h da manhã na instituição de ensino.

 

Batizado – O batizado é uma roda de capoeira solene e festiva, em que alunos novos recebem sua primeira corda e a partir de então podem passar para graduações superiores. Em algumas ocasiões, podem-se ver formados e professores recebendo graduações avançadas, momento considerado honroso para o capoeirista. O batizado parte ao comando do capoeirista mais graduado do grupo, seja ele mestre, contramestre ou professor. Os alunos jogam com um capoeirista formado e devem tentar se defender. Normalmente, o jogo termina com a queda do aluno, momento em que é considerado batizado, mas o capoeirista formado pode julgar a queda desnecessária. No caso de alunos mais avançados, o jogo poderá ser com mais de um formando, ou até mesmo com todos os formandos presentes, para as graduações avançadas.