De Peito Aberto realiza 1ª Capacitação Integrada dos projetos
SuperAção e Estação Juventude



Encontro com duração de dois dias reuniu as equipes de educadores e coordenadores dos projetos, assim como agentes de segurança, pedagogos, psicólogos e outros profissionais técnicos das unidades socioeducativas do Estado para troca de experiências e discussão de estratégias de atuação junto aos adolescentes em cumprimento de medida.




11 de Novembro de 2013

Cerca de 40 profissionais com atuação no sistema socioeducativo de Minas Gerais participaram da 1ª Capacitação Integrada dos projetos SuperAção e Estação Juventude, realizada pela Associação De Peito Aberto, responsável pela gestão dos projetos junto à Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). Com dois dias de programação, o encontro aconteceu entre 7 e 8 de novembro, reunindo as equipes de educadores e coordenadores dos projetos, assim como agentes de segurança, pedagogos, psicólogos e outros profissionais técnicos das unidades socioeducativas do Estado para troca de experiências e discussão de estratégias de atuação junto aos adolescentes em cumprimento de medida. O evento contou ainda com a participação de representantes da Subsecretaria de Atendimento às Medidas Socioeducativas (Suase) da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) e da pesquisadora Julia Bardi, trazendo referências teóricas e práticas sobre a importância das oficinas de cultura e esporte no sistema socioeducativo.

Abertura oficial com o vice-presidente da De Peito Aberto, Wenceslau Madeira


"A capacitação integrada é quase um sonho que se realiza. A nossa expectativa é discutir formas de trabalho que são comuns aos projetos, integrar as equipes e potencializar as ferramentas que o Estado nos oferece para desenvolver nosso trabalho com os jovens", afirmou o vice-presidente da De Peito Aberto, Wenceslau Madeira, marcando a abertura do evento.

Diretora de Formação Educacional e Profissional da Suase, Ana Carolina Ribeiro lembrou que esta já é a 5ª capacitação, no entanto, foi a primeira que integrou as equipes dos projetos e os servidores do Estado que trabalham diariamente nos centros socioeducativos. A gestora ressaltou o desafio e a importância de se fortalecer o diálogo entre todos os atores do sistema.

"Sem regra, não há jogo"

Em mesa redonda, sob o tema "As oficinas na medida socioeducativa", a pesquisadora Julia Bardi, apresentou reflexões teóricas sobre a importância das atividades de cultura e esporte no cumprimento da medida socioeducativa, fomentando o debate acerca das abordagens possíveis durante as aulas e os desafios propostos.

De acordo com a palestrante, cada uma dessas atividades pode ser explorada em diversos aspectos. As oficinas de esporte, por exemplo, podem trabalhar a convivência com vitórias e derrotas, superação de limites, controle do corpo, confiança em si mesmo, responsabilidade de grupo e, fundamentalmente, a existência de regras e a escolha entre segui-las ou não.


 

 

 

 

 

 

Mesa "As oficinas na medida socioeducativa",
com a pesquisadora Julia Bardi.


"Se o sujeito não conhece as regras do jogo, ou se as regras não são acordadas e negociadas de antemão, o jogo não acontece", destacou a pesquisadora, apontando a importância de instrumentalizar esses adolescentes, oferecendo a eles o conhecimento sobre as normas estabelecidas e a possibilidade de fazerem a escolha consciente de segui-las ou burlá-las. Bardi sugeriu a possibilidade de reconstruir as regras, implicando os jovens na formulação das atividades e na construção do processo.

"Abstração e criatividade"

"Os meninos são muito concretos. Eles vêm de uma realidade assim. A abstração trabalhada nas oficinas de cultura é importante para isso", ressaltou o educador Evandro Nunes, colaborador do projeto Estação Juventude. Para muitos dos educadores presentes, o fomento à criatividade e o reconhecimento das habilidades individuais, proporcionados pelas oficinas, são contribuições essenciais no percurso desses adolescentes no cumprimento da medida socioeducativa.

Para o agente de segurança, Rogério Gallo, "esses projetos são muito importantes porque permitem a valorização desses jovens que, muitas vezes, não acreditam que tenham habilidades para outras atividades fora da criminalidade. Permitem a construção de perspectivas", concluiu o servidor.


Atividade de integração, com jogos teatrais mediados pelo educador Evandro Nunes



Projetos

O Projeto SuperAção atua em 32 unidades socioeducativas em Belo Horizonte, Região Metropolitana e interior de Minas Gerais, oferecendo aos adolescentes da internação e semiliberdade acesso à atividade esportiva orientada como forma de colaborar para o processo de ressocialização desses jovens. São praticadas diversas modalidades esportivas como basquetebol, futsal, handebol, voleibol, judô, natação, peteca e tênis de mesa.

Já o projeto Estação Juventude atende aos adolescentes dos centros de internação e internação provisória de Belo Horizonte e Região Metropolitana, na perspectiva de promover acesso à arte e à cultura. São desenvolvidas oficinas artístico-culturais nas áreas de Artes Visuais (fotografia e vídeo), Letras (linguagens), Artes Plásticas (desenho, grafite, quadrinho), Música e Artes Cênicas.
.


1ª Capacitação Integrada da De Peito Aberto no Socioeducativo



Fotos: Larissa Metzker O.

 
www.depeitoaberto.com.br | (31) 2511-1515 | contato@depeitoaberto.com.br