Seds e Oscip levam esporte aos centros socioeducativos


Solenidade de lançamento do programa SuperAção

01/09/2009 - Por: www.agenciaminas.mg.gov.br

BELO HORIZONTE (01/09/09) - A partir de agora, cerca de 550 adolescentes que cumprem medidas de internação em centros socioeducativos da Região Metropolitana de Belo Horizonte, e também na unidade de Sete Lagoas (região Central do Estado), participarão de atividades esportivas diversificadas e de forma sistemática, com acompanhamento de fisioterapeutas e nutricionistas. O lançamento oficial do programa, batizado de SuperAção, parceria da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) com a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) De Peito Aberto, foi realizado nesta terça-feira (1º), no Centro Socioeducativo Santa Clara, no bairro Capitão Eduardo, em Belo Horizonte. O evento contou com as presenças do secretário de Estado de Defesa Social, Maurício Campos Júnior, e do subsecretário de Atendimento às Medidas Socioeducativas, Ronaldo Pedron.

Um convidado especial atraiu a atenção dos adolescentes presentes: o jogador de futebol Athirson Mazzoli, lateral-esquerdo do Cruzeiro. Ele deu o pontapé inicial na partida de futsal entre os times dos centros socioeducativos Santa Clara e Santa Terezinha, realizado logo após a solenidade. “Aceitei prontamente o convite para participar desse evento. Acho que os esportistas têm esse papel de incentivar e apoiar os jovens. Estou feliz de passar um pouco da minha energia e da minha história para eles”, falou.

O secretário Maurício Campos lembrou que, há pouco tempo, esteve na unidade participando de assinatura de convênio com a Escola Guignard, para oferta de oficinas de cerâmica, quadrinhos, fabricação de tintas, grafite e serigrafia em sete centros socioeducativos. “Volto agora para celebrar um acordo que levará o esporte a estes jovens, o que, claro, me deixa muito contente”. Na avaliação dele, as parcerias têm permitido melhores condições de implementação de uma política pública que valoriza as formas de expressão dessa juventude. “Nossa esperança é que os princípios do esporte direcionem as ações e atitudes desse público”, afirmou.

As atividades já estão acontecendo há 40 dias e incluem aulas de futsal, futebol de campo, basquete, handball, vôlei, ginástica, dança e atletismo, dependendo das estruturas físicas de cada centro, do gênero e de outras particularidades. O diretor da Oscip, Wenceslau Teixeira Madeira Júnior, disse que a iniciativa proporcionará aos jovens mais qualidade de vida enquanto cumprem a medida de internação, uma vez que eles terão um maior gasto calórico e um melhor metabolismo, com ganhos reais para a saúde e a autoestima.

A direção do centro ainda aproveitará a oportunidade para fazer uma campanha interna de antitabagismo e outra de incentivo aos hábitos de alimentação saudável. “O esporte abre muitas possibilidades. Queremos também trabalhar princípios como respeito, sabedoria e humildade”, disse Wenceslau. As atividades coletivas de basquete, vôlei e hanball serão trabalhadas em todas as unidades e, no Centro Socioeducativo de Justinópolis, haverá aulas de atletismo e natação.

Animado, o subsecretário Ronaldo Pedron disse que a parceria é resultado do esforço da Suase em suas 28 unidades, e adiantou que a intenção é expandir o projeto SuperAção a todas elas, no próximo ano. O objetivo é possibilitar um espaço de convivência positivo, produtivo, pautado em regras, o que modifica bastante as condições dos jovens dentro e fora dos centros. “Enfim, temos um projeto de esporte consistente. Não sei se vamos conseguir formar atletas. Se assim for, ótimo. Mas, se não, formaremos cidadãos”, disse. Para Pedron, se os adolescentes conseguirem assimilar este espírito, o sucesso está garantido. Não apenas do projeto, mas de seus processos de ressocialização.

Um adolescente interno, de 18 anos, disse que acredita que o projeto ajudará a todos a “seguir outros caminhos”. Ele contou que, mesmo antes do SuperAção, já desenvolvia atividades de pintura com os professores da Guignard, participava da oficina de tapeçaria e de leitura na biblioteca, mas agora terá a oportunidade de “mexer mais os músculos” e ficar em forma. Ele afirmou achar que tem talento para o futebol e, assim como muitos dos companheiros, sonha em um dia jogar profissionalmente. Já outro jovem, de 19 anos, afirmou que planeja ser professor de dança: “Quero terminar de cumprir a medida de internação, trabalhar com estruturas metálicas ajudando meu pai e, à noite, dar aulas de hip hop”, disse.

Assista ao vídeo, clique aqui: http://www.agenciaminas.mg.gov.br/detalhe_video.php?cod_video=1867

www.depeitoaberto.com.br | (31) 2511-1515 | contato@depeitoaberto.com.br